Arquivos Mensais: Agosto 2012

Era uma vez um poème misèrable

Once upon a time e lá estava eu, doido, doído, pensando ser poliglota. Ser troglodita era o que era. Pero, inglês, porém, era só para iniciar contos de fadas e terminar o meu nome. Português me lembrava fado.  Amava atrizes … Continuar a ler

Publicado em Poemas ou coisa que o valha... | 12 Comentários

De flertes, neologismos e poesia ao soneto mal-acabado…

       Flerto com neologismos. Então inventei o verbo amarejar, composto por amar e marejar. Amar, verbo difícil de explicar (aqui no sentido de paixão); marejar, verter em lágrimas. Não sei se foi o amar que engoliu o mar de … Continuar a ler

Publicado em Poemas ou coisa que o valha... | Etiquetas | 19 Comentários

Luar In Verso fotopoematizado

Publicado em Fotopoema, Uncategorized | 4 Comentários

Parceiros

Sou um letrista, faço letras para serem musicadas. è bem mais fácil do que fazer poesias. Os poetas não têm a ajuda que eu tenho destes parceiros músicos, os quais preenchem com notas dissonantes ou não, as falhas de minhas letras. Uma poesia até dispensaria a música, por si só bastaria. Faço letras na esperança de ser um dia poeta… na esperança de ser um dia cantor… na esperança de um dia ser um violeiro ou violonista… na esperança… mas, a bem da verdade, se eu tocasse violão faria assim:

PARCEIROS

Na madrugada me pego

Com o seu corpo perfeito

Encostado no meu peito

Lhe carrego pra varanda

Onde entrega os segredos

Às carícias dos meus dedos

Somos parceiros pacientes

Na quebra de uma cisma

Na busca da melhor rima

E somos parceiros loucos

Em palcos avarandados

Varando a noite acordados

Somos parceiros nas festas

Pelos galpões e fandangos

Por entre xotes e tangos

Mas é quando a vida cala

Quando se esvazia a sala

Quando tudo emudeceu

E o silêncio cala fundo

Somos o centro do mundo

O violão e eu

Se nossa dor é aguda

É prima a corda ferida

Se grave a dor, o bordão

Chego a tremer, encolhido

Dedos tesos, estendidos

Correm seu braço em canção.

Continuar a ler

Ligação | Publicado em por | 14 Comentários

Inverter…Relacionar… Aproximar… Inventar… Imaginar…

Dentre as palavras que mais gosto de inverter estão aroma e amora. Não encontro a vantagem da inversão sobre a origem, pois é, para mim, empate técnico… Gosto de ambas na mesma intensidade. Depois de inverter, gosto de relacioná-las ou … Continuar a ler

Publicado em Poemas ou coisa que o valha... | 19 Comentários